Emplacamentos registram queda de 0,20% no trimestre

São Paulo, 3 de abril de 2014


jhgfdsA Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, entidade que representa mais de 7,7 mil concessionários de veículos de todo o Brasil, divulgou hoje (02), durante coletiva de imprensa, o desempenho do setor automotivo no mês de março e do acumulado de 2014.

\r\n

Para o setor da distribuição de veículos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, como carretinhas para transporte) o mês de março, que teve dois dias úteis a menos em função do Carnaval, apresentou queda de 7,09% em relação a fevereiro. Foram emplacados 365.272 unidades em março, contra 393.143 no mês anterior.

\r\n

Na comparação entre os meses de março 2013 (421.206 unidades) e o mesmo mês de 2014, o setor automotivo também registrou retração de 13,28%, ressaltando que março do ano passado teve um dia útil a mais por não ter o feriado de Carnaval, como ocorreu neste ano. 

\r\n

No acumulado do primeiro trimestre, houve queda de 0,20% para todos os setores somados. Nos primeiros três meses deste ano, foram emplacadas 1.218.333 unidades, contra 1.220.772 no mesmo período de 2013.

\r\n

“Em função da antecipação de compras ocorrida em janeiro (em função do aumento do IPI), com o Carnaval em março e com o realinhamento de preços em função, também, da inclusão do ABS e Airbag, tivemos um primeiro trimestre mais retraído para automóveis e comerciais leves, mas ainda dentro das previsões da Fenabrave. Já para caminhões, houve atraso na renovação do PSI do BNDES, que foi oficializado apenas em 24 de janeiro, o que retardou a aprovação dos pedidos de financiamentos, que estavam acumulados desde dezembro de 2013”, comenta Flávio Meneghetti, presidente da Fenabrave.

\r\n

 Projeções mantidas

\r\n

Em função da alta volatilidade da economia e das questões que envolvem a política do País, a Fenabrave preferiu não revisar agora as projeções para o ano de 2014, que foram anunciadas em janeiro, e que contemplava dois cenários possíveis. No mais favorável, o setor como um todo deve ter o mesmo resultado de 2013 e, num cenário mais pessimista, poderá ocorrer queda geral, de cerca de 3,6%, sendo 3,5% para automóveis e comerciais leves.

\r\n

O setor de caminhões e Ônibus, principalmente considerando a aprovação do PSI Simplificado pelo BNDES no dia 01 de abril, deverá ter um aumento de cerca de 2% nos emplacamentos este ano. “Com o PSI Simplificado, ganharemos cerca de 30 dias na aprovação dos pedidos de financiamento de caminhões, ônibus e implementos, além da agricultura, que vai bem e garante o transporte de safras como a da soja”, avalia Meneghetti.

\r\n

Prevendo um PIB entre 1,5% e 2% para o Brasil, o presidente da Fenabrave acredita que será difícil para o setor em geral apresentar crescimento expressivo este ano.”Além de um crescimento menor do PIB e dos feriados que reduzem o número de dias de vendas no ano, ainda temos um cenário de retração de crédito por parte dos bancos, taxas mais altas de juros (que saltaram de 7,5% em 2013 e já estão em 10,75%, com viés para 11,25%) e realinhamento de preços, ainda que abaixo da inflação. Tudo isso gera dúvidas sobre as projeções de resultados para este ano, mas ainda temos que avaliar melhor a conjuntura e ver como a economia e o mercado reagem nos próximos meses”, afirma cauteloso Meneghetti.

\r\n

Desempenho de cada segmento:

\r\n

Automóveis e Comerciais leves: Foram emplacadas 228.728 unidades de automóveis e comerciais leves em março, contra 245.929 em fevereiro, o que representa queda de 6,99%. Na comparação entre março 2013 (268.313 unidades), a queda foi de 14,75%. Na comparação do acumulado do trimestre de 2014 com o ano passado, o setor registrou queda de 1,68%.

\r\n

Caminhões e Ônibus: Os emplacamentos de caminhões apresentaram queda de 10,78% na comparação entre fevereiro e março de 2014. Foram licenciadas 9.337 unidades em março, contra 10.465 caminhões no mês anterior. Na comparação com março do ano passado, quando foram negociadas 12.354 unidades, o segmento retraiu em 24,42%. No acumulado do ano, houve queda de 11,23% entre o primeiro trimestre de 2014 e o mesmo período do ano passado.

\r\n

O segmento de ônibus  apresentou retração 7,08% no mês de passado. Foram emplacadas 2.742 unidades, contra 2.951 em fevereiro. Na comparação com o mesmo período de 2013 (3.233 unidades), o segmento registrou queda de 15,19%.

\r\n

Os setores de caminhões e ônibus, juntos, apresentaram queda de 9,97%, no comparativo entre fevereiro e março de 2014, retração de 22,51% na comparação entre março de 2014 e o mesmo período de 2013. No acumulado, a queda foi de 10,40% entre os trimestres de 2014 e 2013.

\r\n

Motos: O segmento de duas rodas retraiu 6,09% em março, no comparativo com fevereiro de 2014. Foram emplacadas 112.224 unidades em março, contra 119.508 no mês anterior. Em relação a março de 2013 (123.846), este setor apresentou retração de 9,38%. Já no acumulado do ano, o setor de duas rodas registrou aumento de 3,75%, mostrando recuperação deste segmento que, desde 2008, vem sofrendo com a retração no crédito para financiamentos. “O setor tem sido beneficiado pelo Sistema de Consórcios que, atualmente, responde por 50% das vendas de motos no país”, comenta o presidente da Fenabrave.

\r\n

Implementos Rodoviários: Foram vendidas 4.421 unidades em março, contra 4.697 em fevereiro. O volume representa queda de 5,88% entre os dois meses. Em relação a março do ano passado (5.274), o segmento retraiu 16,17%. No acumulado do ano, houve queda de 4,35% para este segmento.

\r\n

Outros – Outros veículos, como carretinhas para transporte, retraíram 18,48% ao comparar os meses de fevereiro e março. Se comparado a março de 2013 a queda foi de 4,47%.

\r\n

Mais informações à imprensa: 
MCE 
Contatos: Rita Mazzuchini (Mtb 22128)
E-mails: rita@mcepress.com.br; daniela.eventos@fenabrave.org.br
Tel: (11) 5582-0049 ou 2577-6533

\r\n