Primeiro semestre positivo para automóveis e comerciais leves

São Paulo, 3 de julho de 2013


Com vendas totais de 1.707.814 automóveis e comerciais leves, no acumulado dos seis primeiros meses de 2013, mercado apresentou alta de 4,62% sobre o mesmo período de 2012.

\r\n

LogoDe acordo com os dados apurados pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, entidade que representa mais de 7,2 mil concessionários de veículos de todo o Brasil, o mercado automotivo brasileiro se manteve estável no primeiro semestre de 2013, com leve queda de 0,27% nas vendas de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, como carretinhas para transporte). No total, foram emplacadas 2.627.910 unidades no acumulado do primeiro semestre de 2013, contra 2.635.003 emplacadas no mesmo período do ano passado.

\r\n

Se realizado o comparativo, no mesmo período, apenas nos segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, a alta foi de 4,62%. No ano passado, foram emplacadas 1.632.243 unidades durante o primeiro semestre e, em 2013, o setor registrou vendas de 1.77.814 veículos. “Em 2012, no primeiro semestre, as vendas ainda não contemplavam o desconto do IPI (Imposto sobre Produto Industrializado), concedido pelo governo a partir de 21 de maio. Desta forma, a base comparativa é menor do que a nossa atual realidade”, comenta o presidente da Fenabrave, Flavio Meneghetti.

\r\n

Já na comparação entre junho 2013 com o mesmo mês de 2012, houve queda de 11,08% nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves, e aumento de 0,77% se compararmos o mês de junho de 2013 com maio do mesmo ano. “Ao compararmos junho deste ano com igual período de 2012, reparamos que há uma queda acentuada, o que deve ser atribuído ao efeito da redução de IPI, já que, naquela época houve um grande volume de vendas logo após o anúncio do benefício fiscal”, relembra o presidente da Fenabrave.

\r\n

Para o setor em geral, de acordo com Meneghetti, o mercado se manteve estável no comparativo entre maio e junho. As vendas de todos os segmentos somados registraram leve queda de 0,65%.

\r\n

O setor de motocicletas também sofreu queda acentuada no primeiro semestre de 2013, chegando a um decréscimo de 11,83% sobre 2012. “As razões para esta retração continuam sendo a restrição de crédito, e isso parece complicado de se reverter”, declarou Alarico Assumpção Júnior, Presidente Executivo da Fenabrave e porta-voz setorial de motos pela entidade.

\r\n

Os segmentos de caminhões e ônibus, e o de tratores e máquinas agrícolas têm, ao contrário do de duas rodas, razões para otimismo. Além do crescimento de 8,06% para os primeiros segmentos mencionados, a previsão para o ano continua de crescimento expressivo, atualmente mantido em 10% para caminhões.

\r\n

 

\r\n

Projeções 2013

\r\n

Com relação às projeções para o ano de 2013, o presidente da Fenabrave decidiu manter as previsões feitas em março deste ano, e que apontavam para um crescimento global de 1,98% e de 3,3% para automóveis e comerciais leves. A manutenção das previsões deve-se ao momento atual, considerado conturbado pelo presidente da entidade. “Temos uma economia em momento complicado, com alta inflacionária, movimento crescente de juros, muita volatilidade do dólar e também influências do mercado internacional. Além disso, estamos vivendo um dos momentos políticos mais delicados, a partir das constantes manifestações públicas, iniciadas nas duas últimas semanas e que, apesar de ainda não terem influenciado diretamente o fluxo de vendas nas concessionárias, certamente abala toda a economia e suas perspectivas, o que nos deixa inseguros para fazer uma revisão de previsão agora. Deixaremos para fazer uma projeção mais responsável até meados de setembro, quando teremos um quadro mais claro sobre a condução de todas essas situações”, declarou Meneghetti, nesta data, em reunião com a imprensa, em São Paulo.

\r\n

Contudo, diante da revisão, para baixo, das previsões de PIB pelo governo brasileiro, que gira em torno de 2% a 2,4% para 2013, Meneghetti considera possível que as projeções de crescimento sejam, igualmente, reduzidas para o setor da distribuição automotiva. “No ano passado, tivemos dois grandes picos de venda nos meses de agosto e outubro, em função do IPI, o que distorce a base comparativa para este ano que, certamente, não contemplará esses picos de venda neste segundo semestre. Assim, o que podemos dizer é que, dificilmente, teremos crescimento expressivo este ano”, complementa.

\r\n

Confira abaixo o desempenho registrado por segmento:

\r\n

Automóveis e Comerciais Leves: No mês de junho, foram registradas vendas de 302.896 unidades. Este valor representa aumento de 0,77% ante os 300.596 veículos emplacados em maio e queda de 11,8% na comparação com o mesmo mês de 2012. No acumulado, os segmentos cresceram 4,62%, passando de 1.632.343 para 1.707.814 unidades.

\r\n

Caminhões: O mercado de caminhões cresceu 2,89% na comparação com maio e 22,29% no comparativo com junho de 2012. Foram 13.081 veículos emplacados em junho deste ano, 12.714, em maio e 74.365 unidades acumuladas no primeiro semestre. No ano passado foram vendidas 69.547 caminhões nos seis primeiros meses.

\r\n

Ônibus: Foram emplacados, em junho deste ano, 2.629 ônibus em todo o Brasil. Este valor representa queda de 9,22% no comparativo com maio (2.896 unidades) e crescimento de 22,29% no comparativo com junho de 2012 (1.815 unidades). Ao comparar os acumulados dos anos de 2012 e 2013, o segmento registrou alta de 13,35%, passando de 14.819 unidades para 16.797 este ano.

\r\n

O mercado se manteve estável com relação à soma dos dois segmentos. Em junho, a alta foi de 0,64%. No comparativo com junho de 2012, caminhões e ônibus cresceram, juntos, 25,56% e 8,06%, respectivamente, entre os acumulados.

\r\n

Motocicletas: No mês de junho foram vendidas 125.002 motocicletas. Este valor é 3,99% menor ao ser comparado a maio (130.199 unidades) e 0,84% maior em relação a  junho de 2012. No acumulado, o segmento caiu 9,79%, registrando vendas de 748.252 motocicletas em 2013, ante 848.607 nos seis primeiros meses do ano passado.

\r\n

Implementos Rodoviários: Foram emplacadas 5.535 unidades em junho deste ano, valor 4,41%  maior do que maio (5.301 unidades) e 36,3% sobre junho de 2012 (4.061 implementos). No acumulado, o segmento cresceu 25,55%, passando de 25.214 unidades para 31.657 implementos emplacados no primeiro semestre deste ano.

\r\n

Mais informações:
MCE- Comunicação Empresarial
Contatos:
Rita Mazzuchini (Mtb 22128), ou Daniela Figueira
E-mails: rita@mcepress.com.br; daniela.eventos@fenabrave.org.br
Tel: (11) 5582-0049 ou 2577-6533