Retração nos emplacamentos continua no acumulado

O desempenho do setor automotivo continua em queda na apuração dos dados da primeira quinzena de novembro e no acumulado de janeiro a outubro de 2015. De acordo com o levantamento realizado pela Fenabrave, no acumulado do ano, a queda foi de 20,71% para todos os setores somados. Nos primeiros dez meses de 2015, foram emplacadas 3.300.400 unidades, contra 4.162.685 no mesmo período de 2014. Esse resultado está abaixo ao registrado no acumulado de janeiro a outubro de 2007 (3.366.770 unidades).

Já na primeira quinzena de novembro, houve recuperação em relação ao mesmo período de outubro de 2015, com aumento de 12,08% para todo o setor. Mas, quando comparamos o acumulado até o dia 16 de novembro, a queda permanece, chegando a menos 20,91% para todos os segmentos automotivos em relação a 2014.

“Os emplacamentos retrocederam quase uma década em termos de volume, e a situação preocupa concessionários de todos os segmentos automotivos, que estão tendo dificuldade em manter os resultados de suas empresas, o que impacta, negativamente, nos empregos”, declara Alarico Assumpção Júnior, Presidente da Fenabrave.

A entidade reviu as previsões para o encerramento de 2015, e os dados apontam para uma queda global de 23,98% para todos os segmentos somados. Para automóveis e comerciais leves, a Fenabrave projeta redução de 26,5%, para caminhões e ônibus, a queda deve chegar a 45,1% e em 46,6% para implementos. O segmento de motocicletas deve apresentar retração de 14,1% e o setor de tratores e máquinas agrícolas deve cair 38,3% este ano.

Projeções 2016

Ainda sem um cenário político e econômico bem definido, a Fenabrave fez projeções preliminares para o ano de 2016, e as dificuldades do setor devem ser menores, mas ainda importantes. Diante do cenário atual, a entidade projeta uma queda de 4,2% para todo o setor no próximo ano. Para os automóveis e comerciais leves, a retração pode chegar a 5,2%, alcançando 4,2% para caminhões e ônibus, 2,3% para motocicletas e 5% de queda para tratores e máquinas agrícolas.

A previsão não contempla uma possível implantação do Programa de Renovação da Frota que, se aprovado pelo governo, poderá melhorar os resultados de automóveis e caminhões.

O 10º Encontro de Vendedores de Concessionárias será no RJ

O Encontro de Vendedores de Concessionárias, promovido em parceria pela Fenacodiv e Sincodiv´s, já levou aprimoramento para mais de 1,7 mil profissionais que fazem parte das equipes de vendas e gestores de concessionárias de todos os segmentos automotivos. Conduzidos pela Escola de Gestão Automotiva – EGA, os eventos têm sido um sucesso e a 10ª edição será realizada em parceria com o SINCODIV-RJ, no dia 01 de dezembro, a partir das 08h30, no Centro Empresarial Rio – CER, Auditório Praia de Botafogo, 228, Rio de Janeiro/RJ.

As Inscrições devem ser feitas por meio do Fone: (21) 2431-1483 ou e-mail: contato@sincodiv-rj.com.br (Com Márcia). A participação se dará mediante a doação de 1 kg de alimento não perecível (conforme lista do SINCODIV-RJ). Os alimentos arrecadados serão doados ao INCA – Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.

(FOTO DA EDIÇÃO EM CE OU PB)

“O projeto é um sucesso e isso se deve, principalmente, ao fato de as palestras programadas no evento contemplarem todos os segmentos, além da forte demanda que o nosso setor tem por incentivos à capacitação profissional, sobretudo, as equipes de vendas”, cita o Coordenador Geral da Fenacodiv e do projeto, Valdner Papa.

SINCODIV-GO: Workshop trata da Política Nacional de Resíduos Sólidos

No último dia 11 de novembro, o SINCODIV-GO realizou o 2º Super Workshop – Evolução das Concessionárias no Atendimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos - Lei 12.305/10, em Goiânia/GO. O evento, que abordou a evolução desta questão por parte do Setor Automotivo Goiano, contou com a participação dos Órgãos de Proteção ao Meio Ambiente nas esferas Municipal, Estadual e Federal, além da palestra do mestre em meio ambiente e sustentabilidade e diretor da Ouro Verde Meio Ambiente, Luiz Henrique Vilas.

Na ocasião, o segmento dos Concessionários e Distribuidores de Veículos Automotores do Estado de Goiás apresentou suas propostas de Gestão dos Resíduos Sólidos aos Órgãos Ambientais, demonstrando interesse na construção da Concessionária Ecologicamente Correta, com a entrega do Programa de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos (PGRS) – do Setor de Concessionárias de Veículos e o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Especiais – PGRSE (modelo sugerido às concessionárias filiadas). “O primeiro evento foi realizado em 2012 e, nesses 3 anos, conquistamos muito nessa área. O 2º Super Workshop foi um sucesso e contamos com grande participação dos titulares e gerentes responsáveis pelas áreas ambientais das concessionárias”, comentou Shirley Luiza de Oliveira Leal, Presidente do SINCODIV-GO - Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos de Goiás.

Vale ressaltar que todas as concessionárias do País devem cumprir a Lei 12.305/10, que obriga as empresas que geram resíduos, principalmente os perigosos, a fazer uma opção pela redução, reuso e a reciclagem (3Rs), reconhecendo o valor econômico dos resíduos e incentivando, ainda, a integração com cooperativas de catadores de materiais reciclados e toda cadeia produtiva, incluindo seus principais fornecedores. Neste sentido, o Concessionário deverá apresentar seu Programa de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos (PGRS) para obter o licenciamento ambiental.

Ação Fenabrave Nacional

A Fenabrave, por meio da parceria com a Ouro Verde Meio Ambiente e Negócios Sustentáveis, disponibiliza, a toda a Rede, informações sobre como se adequar às normas e transformar a concessionária em um ambiente sustentável, ou seja, atingir o status de “Concessionária Ambientalmente Adequada”. Para isso, foram desenvolvidas cartilhas, disponibilizadas no portal www.fenabrave.org.br, além de palestras e cursos na TV Fenabrave.

Mensagem do Conselho

Destacamos, nesta Edição, os dados de emplacamentos dos primeiros 10 dias úteis de novembro e acumulado de janeiro a outubro de 2015, divulgados pela Fenabrave, além do anúncio do Conselho Monetário Nacional (CMN), em 13 de novembro, reabrindo o prazo para solicitação de novos financiamentos do Programa de Sustentação do Investimento (PSI).

Trazemos, também, informações sobre o eSocial - Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas e a 9ª edição do Salão Auto Caixa, promovido pela Caixa Econômica Federal, entre 5 e 7 de novembro, em parceria com a Caixa Seguradora, Banco Pan, Fenabrave e Anfavea.

Voltado para as ações com participação regional, abordamos o 10º Encontro de Vendedores de Concessionárias FENACODIV, promovido em parceria com o SINCODIV-RJ, que acontecerá no dia 01 de dezembro, no Rio de Janeiro/RJ, e o 2º Super Workshop – Evolução das Concessionárias no atendimento à Política Nacional de Resíduos sólidos - Lei 12.305/10, realizado pelo SINCODIV-GO, no dia 11 de novembro.

Contamos com a sua colaboração para abordar assuntos de interesse para o Setor da Distribuição de Veículos. Envie sugestões de temas e informações de interesse geral e/ou local para: rita@mcepress.com.br.

Ótima leitura!

Conselho Editorial

Governo reabre o PSI

Depois da ameaça de o BNDES não mais receber pedidos de financiamento, pelo PSI, a partir de 30 de outubro, o governo voltou atrás e, no dia 13 de novembro, o Conselho Monetário Nacional (CMN) reabriu o prazo para solicitação de novos financiamentos do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Com a nova resolução, o prazo vai até 27 de novembro de 2015, sendo que, para contratação, permanece o prazo de 31 de dezembro de 2015, quando o PSI será encerrado.

A reabertura do PSI já era esperada pelo setor e foi decidida em Reunião Extraordinária do Conselho Monetário Nacional. “A decisão foi acertada e atende aos pleitos da Fenabrave e Anfavea, podendo ajudar o mercado a se recuperar, ainda que moderadamente. Se o PSI não fosse reaberto ainda este ano, a situação seria ainda mais alarmante para a indústria e concessionárias”, avalia o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

A nova resolução mantém em R$ 19,5 bilhões o limite global de contratação, definido pela Resolução CMN 4.440, de outubro de 2015, com alteração dos sublimites de três linhas do PSI.

O subprograma “Máquinas e Equipamentos Eficientes – Grandes Empresas”, após ser extinguido pela Resolução CMN 4.440, de outubro de 2015, fica reestabelecido, com as mesmas condições anteriores e limite de contratação no valor de R$ 2 milhões.

O limite do subprograma “Bens de Capital - Exportação – Micro, Pequenas e Médias Empresas” passa de R$ 25 milhões para R$ 30 milhões. E, para que não haja modificação no limite global de contratação definido em outubro deste ano, foi proposta a redução de R$ 7 milhões no limite do subprograma “Inovação – Grandes Empresas”, de R$ 452 milhões para R$ 445 milhões. Todas as demais condições financeiras de PSI ficam inalteradas.

Em 13 de novembro, a Superintendência da Área de Operações Indiretas do BNDES divulgou comunicado aos AGENTES FINANCEIROS, autorizando, no período de 13/11/2015 a 27/11/2015, o protocolo no BNDES para homologação de pedidos de financiamento em taxa de juros fixa, no âmbito dos Programas BNDES PSI, BNDES Procaminhoneiro, BNDES Finame Componentes, BNDES Cerealistas e BNDES MPME Inovadora, desde que encaminhados na Sistemática Operacional Convencional. Em caso de reapresentação, os pedidos poderão ser protocolados até 27.11.2015.

Já os pedidos protocolados até 30/10/2015 e não aprovados, e aqueles a serem apresentados a partir de 13/11/2015, deverão respeitar o limite orçamentário, que será calculado com base no desempenho histórico de cada Agente Financeiro e separado por item financiável e porte da Beneficiária Final/Grupo Econômico, a ser encaminhado pelo BNDES, individualmente, a cada Agente Financeiro por correio eletrônico.

Criado em 2009, o PSI busca estimular a produção, aquisição e exportação de bens de capital e a inovação tecnológica, por meio de estímulos aos financiamentos concedidos pelo BNDES e pela Finep a estes setores. As taxas de juros do Programa variam entre 6,5% a 11% ao ano.

Na Pauta: eSocial

O Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Resolução nº1 de 20 de fevereiro de 2015, regulamentou o eSocial - Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados e que foi instituído por decreto em dezembro de 2014. O sistema padroniza a transmissão, validação, armazenamento e distribuição de dados referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas.

A implantação do e-Social irá substituir, gradualmente, várias obrigações, tais como GFIP, CAGED, RAIS, DIRF, CAT (Comunicação de Acidente do Trabalho) e PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário), o que irá eliminar a redundância de envio de informações por parte das empresas. O prazo para implantação para as empresas que faturaram, em 2014, mais de R$ 78 milhões, será em setembro/2016, e as demais, janeiro/2017.

O eSocial abrangerá todos aqueles que contratam trabalhadores, sejam empresas de diversos portes, produtores rurais, profissionais liberais, empregadores domésticos (já em operação), que utilizarão o sistema para registrar os eventos relativos às relações de trabalho. O sistema vai simplificar e racionalizar o cumprimento das obrigações previstas na legislação trabalhista, previdenciária e tributária, eliminando declarações e formulários exigidos. Por isso, a importância de as empresas aproveitarem esse período que antecede a implantação da ferramenta para se preparem, aproveitando todo o espaço de tempo, conforme o cronograma oficial.

As principais alterações decorrentes do eSocial estão no tipo dos arquivos, na forma e quantidade de envios, e nos prazos. Ao todo, serão cerca de 39 tipos de arquivos diferentes, gerados de forma individualizada por trabalhador, para envio através de um sistema mensageiro que se comunicará diretamente com o ambiente do eSocial na internet. É importante ressaltar que não haverá programas do governo instalados nas empresas e que todos os arquivos serão enviados diretamente por meio da internet.  

Os empregadores devem atualizar as informações cadastrais dos trabalhadores a seu serviço, certificando-se de sua consistência no Cadastro Nacional de Informações Sociais – CNIS, do INSS e na base no Cadastro de Pessoa Física – CPF, da RFB – Receita Federal do Brasil, realizando a atualização dos dados cadastrais antes do sistema entrar em vigor. Lembrando que os trabalhadores que estiverem com os dados inconsistentes não serão aceitos pelo eSocial.

9º Salão Auto Caixa

A Caixa Econômica Federal promoveu, entre 5 a 7 de novembro, a 9ª edição do Salão Auto Caixa, em parceria com a Caixa Seguradora, Banco Pan, Fenabrave e Anfavea. Durante a ação, a Caixa ofereceu linha de crédito, com condições diferenciadas, para a aquisição de carros e motos, novos ou usados, nacionais ou importados.

Segundo o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, sem dúvida, a ação foi uma excelente oportunidade para clientes adquirirem carros e motos em condições especiais, representando uma alternativa importante para que as concessionárias de todo o Brasil pudessem estimular suas vendas, tendo em vista o momento desafiador pelo qual atravessa o setor, em função da crise econômica do País. “Tivemos bons resultados nas últimas edições do Salão Auto Caixa e esperamos um balanço favorável também nessa edição”, conclui Assumpção Júnior.

A 8ª edição do Salão Auto Caixa, realizado em junho deste ano, a CAIXA e o Banco PAN ultrapassaram a marca de R$ 1 bilhão em novas concessões, no somatório dos volumes concedidos pelos dois bancos naquele mês.